Signs – ‘O almoço’

 

(Se quiser saber como esta história começou, leia: Signs e Signs – ‘O dia seguinte’)

::::::

Sua cara – assustada e surpresa – não o intimidou. “Sim, fui eu que coloquei o bilhete no seu carro. E, hoje de manhã, mesmo que por poucos segundos, fui eu quem você viu pela janela do seu escritório. Prazer, Paulo.”

Paulo era um homem interessante. Na casa dos 30 anos. Pele clara que contrastava com os cabelos e olhos pretos. E tinha um sorriso encantador. Ela conseguiu perceber tudo isso em instantes. Mas mal balbuciou seu nome.

Ele percebeu que ela estava nervosa e tentou ser o mais agradável possível. “Podemos ir almoçar? Meu carro está logo ali fora, já tenho um lugar em mente. Vamos?”

Ela foi. Por impulso. Não conseguia pensar naquele momento.

Paulo, talvez um pouco influenciado pelo vídeo, planejou um almoço diferente, queria ser original. Coisa um pouco complicada de realizar num meio de semana normal, num dia comum de trabalho com horários, compromissos, reuniões. Ele escolheu um restaurante fora do centro comercial, mais chique, requintado e aconchegante. Mas não pensou nos detalhes. O trânsito. Ficaram um bom tempo parados ou andando na velocidade de uma tartaruga manca. Por um lado poderia ser bom, pensaram; teriam chance de conversar. Mas os assuntos eram trabalho, loucuras da cidade grande e, lógico, horários. O tempo foi passando e nada de chegarem ao tal lugar. Ambos estavam desconfortáveis. Sabiam que corriam contra o relógio – logo teriam que voltar. O clima foi ficando denso no carro.

“Para que eu fui inventar de escolher este lugar? Minha chance e eu a desperdicei…”, pensava ele. Ela não sabia se abria a porta do carro e saía correndo ou se abria o jogo. Como não tinha a nada a perder e, de certa forma, algo nele a intrigava, resolveu ser sincera: “Paulo, sei que sua intenção foi boa. E, por não me conhecer, quis me impressionar. Mas sou uma mulher que se encanta com gestos simples. Vire na próxima rua à direita. Quem vai te levar para almoçar agora sou eu.” Ele obedeceu. E seu semblante parecia mais aliviado.

Chegaram a uma casa simples. Não havia placas. Mas um movimento intenso. “Aqui é a casa da D. Doninha. E o restaurante é no quintal. A comida é simples e caseira. Gosto daqui porque, por alguns minutos, saio da agitação e sinto como se eu estivesse numa cidade do interior. Espero que goste.” D. Doninha os recebeu com um abraço, como se fossem da família. Se serviram no fogão a lenha, sentaram em uma mesa de plástico perto de uma jabuticabeira. Pequena ainda, sem flores, sem grandes pretensões de proporcionar sombra. Mas fez Paulo se lembrar da sua infância, na casa de seus avós. E sorrir.

Lugar perfeito. Seus olhos brilharam ao olhar para ela. Os dois sentiram a especialidade do momento. E a conversa começou a fluir mais naturalmente. O trajeto de volta ao trabalho foi diferente, eles estavam mais descontraídos, mais integrados… seria o começo de uma ‘perfeita simetria’?

 

Anúncios

28 Respostas

  1. Hum, interessante, pois eles começaram bem, sendo realmente o que são e não figindo…

    Fique com Deus, senhorita Menina Misteriosa.
    Um abraço.

    05/12/2009 às 21:25

    • Menina Misteriosa

      Também gostei disso…
      Beijos

      10/12/2009 às 20:33

  2. Sil

    Nossa….
    Não consigo descrever minha ansiedade pra saber de todos os detalhes..r.sr.srs.rs.rs.r.s
    Ahhhhhhhh
    rs…

    Flor… estamos torcendo!! Sempre e cada vez mais viu!!
    Sua felicidade é o que interessa… e pronto!!

    Bjossssssss
    Milhões especialmente pra vc!!

    ;)

    05/12/2009 às 23:17

    • Menina Misteriosa

      Anjinha,
      Obrigada!
      Já sabe um pouquinho mais, né?! risos…
      Milhares de beijos (só para você, hein?!)

      10/12/2009 às 20:34

  3. pq eles sempre inventam moda né? rs
    bjs

    06/12/2009 às 01:22

    • Menina Misteriosa

      Sentimental,
      Sempre me pergunto isso. Se eles soubessem… ah…
      Saudades de conversar com você,
      beijos

      P.S.: Gostei do avatar novo… boca linda!

      10/12/2009 às 20:35

    • se soubessem iriam direto ao ponto.
      bjs

      10/12/2009 às 22:54

  4. Mistérios!!!
    e depois do almoço, o que aconteceu??? contaa! tô curiosa aqui, ansiosa! continua essa história logo, por favor…tá bom? =)
    Achei maestral, ela assumindo as rédeas num momento de insegurança do Paulo…hehehe boa menina!

    Romance!!! romance!!!! ahahaha…adoroooo!

    Beijo flor!

    06/12/2009 às 10:44

    • Menina Misteriosa

      Viu, Mari, moça decidida ela, né?
      Sobre a continuação… ainda não sei se farei… tá ficando quase uma novela… risos…
      Saudades de você,
      Beijos

      10/12/2009 às 20:37

  5. Gosto da história pq foge do convencional – e foge mto, qualquer um nessa situação teria ficado frustradissimo (ou não?)

    Mas tá valendo. E que tenha continuação (que agora eu estou curiosissima!)

    06/12/2009 às 15:55

    • Menina Misteriosa

      Intense,
      Poderia ter sido frustrante. Mas foi diferente. E, por isso mesmo, ainda melhor.
      Ter continuação, teve. Mas talvez eu não poste tudo aqui… depois te conto, pode ser?!
      Beijos

      10/12/2009 às 20:38

  6. E aí? Cenas dos próximos capítulos?

    A propósito, tem um meme para você lá no Ponto Rouge.

    beijo rouge

    Dani

    06/12/2009 às 20:51

    • Menina Misteriosa

      Dani,
      Como falei pra Intense e pra Mari… tenho medo desta novela cansar vocês…

      Opa, obrigada, linda!
      Vou lá ver!
      Beijos

      10/12/2009 às 20:39

  7. Hummmmmmm

    Gostei da iniciativa da moça : viu que não teria tempo de aproveitar a companhia dele, se fossem ao restaurante escolhido, e não teve medo de ousar, de sugerir.

    Acho que foi um começo muito promissor…ai, ai.

    Quando tem mais? Vou fazer coro com o Renato :

    ♪ “Sou um animal sentimental
    me apego facilmente
    ao que desperta o meu desejo…” ♫

    Quero ler maaaaaaaaaaaais dessa história! ^^

    Dois beijos, gatona. Tenha uma semana linda, que nem tu.

    ℓυηα

    07/12/2009 às 00:55

    • Menina Misteriosa

      Luna,
      Este negócio de tomar a iniciativa é um caso sério, né?!
      Por isso você me entende… as vezes, é bom mudar… hehehehe
      Beijos

      10/12/2009 às 20:40

  8. É a primeira vez que visito seu blog. Estou realmente encantado, mas não surpreso. Amo o A céu…

    Adoro histórias como essa (ainda mais bem contadas como é o caso aqui)… parece que aconteceu aqui pertinho.

    BJs!

    07/12/2009 às 02:59

    • Menina Misteriosa

      Eraldo,
      A ideia é que se sinta próximo mesmo. Fique à vontade, puxe uma cadeira, a casa é sua.
      Obrigada pelas doces palavras e pela visita.
      Volte sempre…
      Um beijo

      10/12/2009 às 20:42

  9. Fantástico!!!

    A simplicidade é a melhor aliada, e traz resultados surpreendentes.

    Para um começo, a garota acertou em cheio… nada como a naturalidade para se conhecerem verdadeiramente.

    Muuuitos beijos, Menina!!

    07/12/2009 às 11:28

    • Menina Misteriosa

      Sweet,
      Sempre: simplicidade e naturalidade. Combinação perfeita.
      Essa garota (do conto) é danada! (mas vou te contar um segredo: ela mais erra do que acerta…)

      Como você está? Muita correria com os preparativos? Precisando de alguma ajuda?!

      Mande notícias, estou com saudades,
      Beijos

      10/12/2009 às 20:45

  10. Aaaaaaiiiiii que coisa mais linda, flor!!! Estou curiosissima, viu?

    Como vc tá, heim? Ó, obrigada pelo imenso carinho e cuidado lá no blog e emails, viu? Adoro muitão. Desculpa a demora em vir por aqui

    Beijo grande.

    07/12/2009 às 13:15

    • Menina Misteriosa

      Miss,
      Precisamos conversar com mais calma no msn.
      Umas boas risadas e muito papo resolvem quase tudo!
      ;)
      Beijos

      10/12/2009 às 20:46

  11. Ah! Esqueci de dizer…o olho lá não é meu não.

    Beijos, flor.

    07/12/2009 às 13:21

  12. Dil Santos

    Menina, vc tá bem?
    Ai que lindo, adorei.
    Eu fiquei imaginando cada detalhe, eu mergulhei na história, rsrs.
    Ah, passa lá e escuta, já dá pra escutar no próprio post, Luna me ajudou nesse ponto, rsrs

    Bjo
    :)

    07/12/2009 às 14:24

    • Menina Misteriosa

      Dil,
      Adorei saber… mergulhe mesmo! ;)
      Obrigada,
      Beijos

      10/12/2009 às 20:48

  13. Perfeita simetria, e isso existe?

    08/12/2009 às 01:15

    • Menina Misteriosa

      Acho que sim. Mesmo que apenas por alguns instantes.

      10/12/2009 às 20:49

  14. Perfeita simetria ?
    No início tudo parece perfeito.
    Mas com o tempo……
    O texto é romântico.
    Beijão

    08/12/2009 às 01:34

    • Menina Misteriosa

      Sim, pelo menos, naquele momento.
      Certeza não teremos e, com o tempo, tudo pode mudar. Pra melhor ou pra pior.
      Mas muda, isso é fato.
      Beijos

      10/12/2009 às 20:50

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s