Do lado ‘Esquerdo’ da rua Direita

.

[…]

Foi ou não foi? Êta passado que me cavouca a imaginação! Quando menos espero, lá venho eu falar de reminiscências e avoo até onde minha saudade alcança.

[…]

Meu pobre pai, que Deus o tenha, morreu sem me contar um segredo. Pois tais segredos, quando se trata de amor, competem unicamente ao cofre forte do coração de quem de direito.

Eu já tinha ido àquela casa. Sobrado sito no centro, andar sobreloja, que um dia alojou, no térreo, uma loja onde se vendia material para iluminar. Era uma loja famosa que o tempo engoliu, sem vontade. Inda me lembro, olhos anuviados, de quando seu dono […] esfregava a barriga no balcão, atendendo a todos com uma cordialidade ímpar, sem logro, sem espichar o elástico para medir mais.

Quando da primeira vez visitei aquela morada antiga, onde agora mora a viúva – uma pessoinha refinadamente educada, coisa que hoje não se vê mais -, […] veio-me à cabeça uma dúvida: ‘foi ou não foi?’

Véspera de Tiradentes, fui de novo visitar a velha casa assobradada. […] Assentamo-nos à mesa do café, ao lado de um filho e uma nora, simpáticos como a mãe e sogra. Conversamos amenidades. Durante a conversa saudosa, a senhorinha de fala mansa, religiosamente educada, falou, como fala uma cotovia, de quando ela e meu pai cantavam no coro da Igreja Matriz.

[…]

A prosa durou mais que o previsto. E como foi uma prosa boa! Mas saí daquela casa assobradada com a mesma dúvida de dantes: ‘foi ou não foi?’

Dado o carinho com que aquela grande refinada dama se referia ao meu pai, quase tive o segredo descoberto. Ela foi ou não namoradinha de meu certinho pai?

.

Este texto foi escrito por Paulo E. R. de Abreu e publicado no jornal local. É mais que uma história de saudades e lembranças.

.

Anúncios

25 Respostas

  1. Até pode falar de saudades, mas vejo que é uma saudade para com a boa educação entre as pessoas…

    Fique com Deus, senhorita Menina Misteriosa.
    Um abraço.

    18/08/2010 às 23:16

    • Menina Misteriosa

      É uma saudade boa, Daniel. Lembranças que aquecem. Beijo!

      01/09/2010 às 22:46

  2. Adoro estes devaneios da alma escrita dessa forma. Um espetáculo!!!!!!

    Pode ter sido, simplesmente, enamorados. Essa discrição de outrora talvez nunca será revelada. rá.

    bjos, ú&e =****

    19/08/2010 às 12:00

    • Menina Misteriosa

      Os detalhes do autor são doces como o segredo! Beijo, U&E

      01/09/2010 às 22:48

  3. Será que foi, será que não foi, Capitu?

    19/08/2010 às 12:22

    • Menina Misteriosa

      Gustavão, na minha leitura só existe inocência… e você bem sabe, né?

      01/09/2010 às 22:49

  4. Ah, que bonitinha essa dúvida. Melhor nem saber, que é pra ficar só o encanto e o mistério.
    Beijo.

    19/08/2010 às 16:21

    • Menina Misteriosa

      Luna, justamente. Ele diz que, apesar de saber, adora imaginar! Beijo

      01/09/2010 às 22:50

  5. essas perguntas sempre tem resposta positiva… :)
    bjs

    19/08/2010 às 23:28

    • Menina Misteriosa

      Ou não… risos…
      Beijo, S.!

      01/09/2010 às 22:51

    • por aqui é sempre sim!!!
      não sei o q acontece com o povo dessas bandas. kkk

      04/09/2010 às 23:36

  6. Miltextos

    Nossas lembranças serão assim pontuadas de uma ou outra certeza e tantas dúvidas… Capitu. Hamlet. Manuel Bandeira: foi-não foi-foi.

    É para pensar…

    Em busca da DM perdida. Com certeza, falava em saudade. Na dúvida, perdeu-se…

    20/08/2010 às 00:07

    • Menina Misteriosa

      Ou apenas pra sentir, Jorge. Mesmo o que tenha se perdido! Beijo

      01/09/2010 às 22:52

  7. Texto delicioso! A linguagem interiorana complementa a cadencialidade do texto, que flui pelos olhos de quem o lê.

    ;)

    Beijocas, flor. Obrigada pelo carinho de hoje e de sempre.

    20/08/2010 às 18:43

    • Menina Misteriosa

      Sinto o mesmo com os detalhes, Miss. Eles nos fazem personagem! Love…

      01/09/2010 às 22:53

  8. “Se todos conhecessem a intimidade sexual uns dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém.” Nelson Rodrigues
    Melhor nem saber,mas a dúvida nos tormenta.
    bjssss

    21/08/2010 às 14:20

    • Menina Misteriosa

      Paty, acho que essa dúvida, na verdade, alimenta e inspira… e, só por isso, continua assim!
      Beijo, linda!

      01/09/2010 às 22:56

  9. Oi Menina, tudo bem?
    As vezes é melhor ficar no mistério, pois assim mantêm o encanto, rs.
    Saudades suas menina e tenho q dar uma variada as vezes, deixar um pouco mais hot, rsrs
    Bjos

    24/08/2010 às 09:39

    • Menina Misteriosa

      Dil, ficou bem hot e muito bom!;)
      Beijo

      01/09/2010 às 22:58

  10. Ju

    Que bonitinho!! ;)
    Me deu saudades…..

    Beijos!

    29/08/2010 às 13:30

    • Menina Misteriosa

      De histórias como essa ou da inocência, Ju? risos

      01/09/2010 às 22:59

  11. Felipe A. Carriço

    Pode ser…
    Bastava verificar a altura da cerca!

    01/09/2010 às 00:13

    • Menina Misteriosa

      Risos… se eu disser a altura, entrego o mistério! Beijo, Carriço!

      01/09/2010 às 23:00

  12. Ju

    Saudades da inocência?! Eu a preservo intacta, ela fica guardadinha ali ó, no meu cofre de emoções.. Bem, é certo que eu não a tenho mais aqui dentro, mas sei bem por onde ela anda, ou melhor, por onde ela para… o.O

    12/09/2010 às 12:16

    • Menina Misteriosa

      Malícia inocente é uma das melhores, né, Ju?
      ;)
      Beijo

      20/09/2010 às 13:38

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s