Sinal da compaixão*

.

Paramos lado a lado no sinal. Não sei porquê, mas ela chamou a minha atenção. Acho que foi seu ar meio tristonho. E o vidro sem película. Quem ainda anda de carro com as janelas tão clarinhas? Dá pra ver tudo lá dentro. Eu vi. Ela não. Nem reparou. Talvez estivesse absorta, concentrada. Ou, talvez, tenha sido culpa do vidro escuro do meu carro. Não sei. Só sei que, de repente, ela começou a chorar. Um choro doído, sincero. E quem sou eu pra achar isso? Eu nem a conheço. Mas ainda achei mais: parecia ser silencioso. Ela não soluçava. A impressão é de que as lágrimas rolavam a revelia, por mais que ela tentasse se manter inerte. E eu olhando. Senti vontade de fazer alguma coisa. Ela estava sozinha e eu, ali. Talvez, eu pudesse ajudar.  Mas eu iria fazer o quê? E quem disse que eu poderia? Que mania é essa? Talvez, só a atrapalharia ou a assustaria. Bem mais provável. Ninguém acredita na preocupação sem segundas ou terceiras intenções mesmo. E eu nem consigo saber. A rua está tão movimentada. Tantas pessoas. Umas tristes. Outras não. Umas mais, outras menos. Mal sei o que está acontecendo do meu lado, imaginem dos outros lados do mundo. Eu nem sei porquê. Agora já era, o sinal abriu.

.

* o título foi um presente.

.

Anúncios

27 Respostas

  1. Basta observarmos um pouco as pessoas ao nosso lado (me refiro a pessoas que não conhecemos) que elas tem muito a nos dizer. Seja pelos seus gestos, por uma conversa alta ao celular, seja pelo choro (como foi no seu caso).

    O problema é que raramente, nos dias de hoje, olhamos ao lado, ao nosso redor, andando nas ruas, seja de carro ou a pé. E o que viu foi uma dessas situações. Basta observar. Algo você encontrará.

    Beijos

    04/02/2011 às 11:58

    • Menina Misteriosa

      Daniel,
      Eu sempre observo. Muito. Não consigo ficar alheia ao que acontece do meu lado.
      Pena que a aproximação não é bem vista.
      Você é uma das pessoas que, pelos seus textos, mostra que é diferente.
      Sempre muito bom te ter aqui!
      Um beijo!

      20/02/2011 às 23:07

  2. Não tem como não ter compaixão (enchi meus olhos de lágrimas). Vc conseguiu colocar em palavras todo seu sentimento de um momento aparentemente simples.
    Nota-se toda sua sensibilidade à flor da pele.
    Também sou observadora e assim, pegando de um lado e outro crio meus contos.
    Lindo demais!
    Bjssssss

    04/02/2011 às 15:31

    • Menina Misteriosa

      Paty,
      Mais uma coisa que temos em comum!
      Beijo

      20/02/2011 às 23:07

  3. o homem construiu sobre a terra, a ponto de sufocá-la
    torres ocas, bunkers profundos e estéreis
    aprisionaram a água e esqueceram
    esqueceram da matéria mole e frágil
    que preenchia tudo sob o sol
    essa impertinente, a Vida

    Beijo,
    Paulo

    04/02/2011 às 16:16

    • Menina Misteriosa

      Brigamos para ficar cada vez mais impertinentes e para nunca sermos esquecidos!
      Paulo poeta, obrigada!
      Beijo

      20/02/2011 às 23:09

  4. a minha filha tem uma implicância enorme com o avô dela. enorme. ela fala que quando estão passeando, por exemplo, e o avô vê uma pessoa estranha, ele tem o que ela chama de ‘mania’ de fazer um comentário sobre a pessoa, geralmente baseado em algo que ELA julga completamente sem fundamento [mas que pra ele parece óbvio, claro]. mais ou menos assim: ele vê um cara sorridente cantando alto na rua e diz: ah, esse aí deve ter ganhado na loteria [exemplo citado pela minha filha]. e ela me diz: mãe! o cara pode simplesmente estar bêbado!!! pode estar rindo porque vai casar, porque descobriu que não tem câncer, tem milhões de motivos! e aí eu falo pra ela ter paciência com o avô e blá blá blá mas ela vive se irritando. também, é adolescente…
    e sua história me lembrou isso [que eu faço direto], esse negócio de a gente olhar um desconhecido com uma expressão mais marcada e imaginar de onde vem esse sentimento e criar histórias
    e de repente pode ser tanta coisa. tanta coisa.
    beijo lu

    04/02/2011 às 19:45

    • Menina Misteriosa

      Gosto dessas “coincidências”, Cassi. Eu me sinto um pouco mais próxima!
      Beijo!

      20/02/2011 às 23:10

  5. a gente perde muito tempo pensando….

    05/02/2011 às 01:53

    • Menina Misteriosa

      … e esses sinais não dão chance, S., quando devem demorar, abrem num piscar de olhos!
      Beijo

      20/02/2011 às 23:11

    • velocidade da luz…

      20/02/2011 às 23:47

  6. Uma atitude tão sua…

    Não poderia esperar que teus olhos captassem tal cena, sem que sentisse vontade de ajudar. Isso é tão seu. Esse amor imenso que você tem aí, essa compaixão transbordante que te preenche e que tu exalas em cada olhar.

    Te amo, irmãzinha.

    06/02/2011 às 18:34

    • Menina Misteriosa

      Miss,
      mas dó da esquina não, viu? =P
      Love!

      20/02/2011 às 23:12

  7. Menina querida amiga do meu coração, que saudade de tu! Estamos relapsos né? rsrs
    Eu imagino como deve ter sido a cena, me vi ali peguntando a ela se estava tudo bem, como já fiz tantas vezes na rua com estranhos, rs.
    Mas espero que ela esteja bem! Vc tá bem né?
    Bjão

    06/02/2011 às 22:25

    • Menina Misteriosa

      Dil,
      Da próxima vez, vai de carona comigo no carro, vai? ;)
      Saudade!

      20/02/2011 às 23:13

  8. Não sei se relamente poderia fazer algo.

    Não sei se ela precisava apenas de um abraço, ou se os vidros de seu carro estavam sem película de propósito, na inteção de que alguém pudesse enxergá-la.

    Como você disse, o sinal abriu… já era. Nunca saberemos.

    Independente do que nos aconteça o sinal sempre abre e precisamos seguir adiante.

    No final das contas, o que sei, é que pessoas como você que se importam com o outro sem sequer conhecê-los, ou querer nada em troca, são cada vez mais raras. Por isso, parabéns.

    Obrigada pela visita no “Hoje Sou Assim” e considere-se sempre bem vinda.

    07/02/2011 às 12:06

    • Menina Misteriosa

      Obrigada, Cynthia! Mas tenho medo de não ser uma bênção. Por vezes, fico na dúvida.
      Beijo

      20/02/2011 às 23:14

  9. As vezes a preocupação sincera é forma mais sincera de amor…

    Fique com Deus, senhorita Menina Misteriosa.
    Um abraço.

    07/02/2011 às 16:56

    • Menina Misteriosa

      Daniel, poucos acham isso, sabia?

      20/02/2011 às 23:14

  10. Com teus olhos assistimos um belo episódio da vida real.
    Gostei.

    Beijo

    07/02/2011 às 21:55

    • Menina Misteriosa

      Paulo,
      Sua sensibilidade acertou em cheio: minha intenção é essa… dar carona!
      Beijo

      20/02/2011 às 23:15

  11. A empatia é uma dádiva do ser humano. O sentimento é contagiante, mas às vezes a melhor escolha pode ser não interferir. Tanto na dor quanto na alegria, em certas ocasiões, precisamos de um momento só nosso. Beijos!

    08/02/2011 às 03:04

    • Menina Misteriosa

      Tiago,
      Dosar se torna cada vez mais importante. A alguns impulsos é preciso resistir. Espero ter acertado nesse.
      Beijo

      20/02/2011 às 23:16

  12. Histórias com carros parados no sinal me atraem.As vezes sou como o que observa, mas poucas vezes noto quando sou eu a observada.

    08/02/2011 às 12:45

    • Menina Misteriosa

      Mari, cuidado ao parar o carro ao meu lado! ;)
      Saudade de ti!
      Beijo

      20/02/2011 às 23:17

  13. Ao som de Sinal Fechado, genial poema de um Paulinho da Viola com pinta de Chico Buarque:

    O sinal…
    Eu procuro você…
    Vai abrir!!! Vai abrir!!!
    Eu prometo, não esqueço, não esqueço
    Por favor, não esqueça
    Adeus… Adeus…

    Ah, Deus… tende compaixão de nós…

    09/02/2011 às 23:37

    • Menina Misteriosa

      Gosto muito do que acontece sem essa procura, Jorge.
      Beijo

      20/02/2011 às 23:17

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s