Olha pra mim*

.

Azul e clara. Assim eu via a noite que, apesar da presença dela, estava escura e cinzenta. Ela me via entre folhas. E sabia. Sabia que eu evitava o olho no olho. Para que você não me visse. Para não permitir você entrar e eu me envolver.
 
Aconteceu mais de uma vez. Uma evitando o beijo. A outra, o sentir. Então, sou eu. Sou eu que me defendo da paixão. Eu que controlo a ânsia de te provocar. De dizer minhas vontades. De realizá-las com você. Eu que me faço forte. E, sem perceber, desencano. Porque eu não me rendi. E sem entrega é mais fácil me desvencilhar.
 
Nunca mostrei o anseio inconstante e incontrolável. Que poderia surgir no meio da tarde. Que me faria te ligar e dizer safadezas, enquanto me tocava e ouvia a sua voz. Que te enlouqueceria quando menos esperasse. Que te faria ouvir meu prazer, mesmo que eu não dissesse uma palavra. Que alteraria a respiração só de imaginar. E nos faria querer mais e mais. E mais.
 
Guardei o talante do gosto. Do gozo. Guardei. Guardei fantasias. Guardei confissões. Guardei loucuras como te imaginar… como nos imaginar… Eu não falei. Nem pistas eu dei. A ponto de você pensar que estivesse desinteressada. E estava. Do normal que você sempre teve, eu estava. Sufoquei um interesse para que os outros pudessem sobreviver.
 
Não quis como era previsto querer. Era normal, esperado, sem graça. Fugi tanto que não senti. Se acha que me teve, não sabe o que é ter. Ou sentir. Talvez, você também não se entregue. E nem tenha percebido.
 
Há tanto envolvimento de outra forma que seria até bonito. Eu confio em você. Fora da cama. Fora do toque. Fora dos corpos juntos. Na verdade, eles nunca estiveram juntos. De verdade, não estiveram.
 
Nesse tempo, só um conseguiu chegar até mim. Derrubou a barreira e houve entrega. Mas faltava o resto. Talvez, por isso, eu tenha o deixado chegar tão perto.
 
Como seria se, de novo, eu deixasse que todos os interesses se encontrassem em uma só pessoa?
 
É engraçado te dizer isso assim, olhando nos seus olhos. É que hoje tenho a certeza de que você não consegue me fazer ser sua.
.
.
* segurando meu rosto com as duas mãos,
sugando meus olhos pros dele.
por achar que, assim, eu não poderia fugir.
 
.
Anúncios

14 Respostas

  1. Panul

    Lindo texto!
    Me incomoda isso de economizar sentimentos e desejos,acho um tremendo desperdicio.
    Pra que poupar, se resistindo já há sofrimento ???
    Encantar-se é tão raro.Relaxa e aproveita!
    Entrega,goza,curte,desfruta enquanto existe.
    Tudo acaba um dia e o que fica ???
    Você é o que você VIVE,nada mais. Tá guardando pra que ? Pro bicho comer ?Rs.
    Vivaaaa!!!

    25/04/2011 às 12:07

    • Menina Misteriosa

      Panul, concordo, em partes.
      Nesse caso do texto, não foi questão de economizar. Foi de saber que a outra ponta não merecia. Conhecer demais, acho que foi isso.
      Eu aproveitei. Ô, e como! Só não me empolguei, por ter ciência de onde estava pisando.
      Sempre digo que, no fundo, a gente sabe. Esse meu saber estava na superfície. E estava certo.
      =)
      Beijo!

      25/04/2011 às 14:03

  2. Relacionamentos que acontecem, deixam de acontecer, mas sempre fica algo vivo mantendo uma possibilidade, dependendo apenas de um telefonema ou uma mensagem de celular.

    Ah, como ocorre…

    Daniel

    25/04/2011 às 13:32

    • Menina Misteriosa

      Daniel,
      Quando a gente tenta matar antes do tempo, porque acredito que vamos até certo ponto, é como se ele se rebelasse lá dentro e nos arranhasse. Dói mais do que se aceitarmos e aprendermos a lidar com ele.
      Beijo!

      28/04/2011 às 09:18

  3. Menina Misteriosa

    Recebi esse comentário, por email:

    “Ah… então… eu tenho certa dificuldade em lidar com o sofrimento, com certas emoções. Você sabe… e assim, eu não sei como tentar mudar isso, eu só sei que quando eu fico triste, tudo que eu quero é sair daquilo, daquele “lugar”, eu tento fechar portas dentro de mim, trancar, jogar a chave fora… sei que as coisas vão se acumulando, mas no geral, acabo convivendo bem com elas. Já falei isso naquele outro arco-iris que se perdeu por aí…
    Sabe, eu ia até te responder, no e-mail que recebi do wordpress, com sua última publicação, mas o e-mail acabou se perdendo por aqui e eu esqueci… mas o que ia dizer era o seguinte… Me lembrei do dia em que saltei de pára-quedas, eu lembro que fiquei com tanto medo quando começaram a me preparar, a colocar a roupa e o colete, que de repente eu comecei a bloquear tudo. Todo mundo que olhava pra mim, me perguntava como eu podia estar tão calma… eu transparecia tranquilidade. Mas eu bloqueei tanto, mas tanto, que realmente, eu não tive mais medo, mas também não tive prazer nenhum. Subi no avião e aterrissei com a mesmíssima cara, sem nenhuma emoção… e volta e meia eu volto a fazer isso… Não sei o porquê, não sei se é bom ou ruim, só sei que é assim.”

    28/04/2011 às 11:23

  4. Tânia

    Nossa…

    Há tempos eu não lia algo tão intenso, tão profundo, tão real.

    À medida que se pretende fugir, evitar o inevitável, a entrega se faz comedida, superficial.

    Os olhos são forçados a se encontrarem, mas aquele que ‘força’ não faz ideia de que há, ainda, uma cortina invisível, que impede o acesso às profundezas da alma.

    Beijos, beijos.

    #Love

    28/04/2011 às 11:37

    • Menina Misteriosa

      Saudade de você.
      Assim, inteira!
      Beijo, Miss

      26/05/2011 às 09:17

  5. Eu, pra variar com o nome errado. ¬¬ ;*

    28/04/2011 às 11:38

  6. Esperamos tanto, desejamos tanto e o tanto que queremos quando conseguimos não sei, porque perde a graça…

    28/04/2011 às 21:38

    • Menina Misteriosa

      Dea,
      Isso quando a gente não se boicota antes de conseguir…
      Beijo, aniversariante da semana! Parabéns!

      26/05/2011 às 09:18

  7. Acho que vc foi é corajosa, de saber até onde chegar. Talvez sofrimentos maiores foram evitados. Mas o controle é dificil. bjsssss

    01/05/2011 às 16:44

    • Menina Misteriosa

      Ser corajosa dói assim mesmo, Paty?
      Nas horas de dúvidas e questionamentos e frios… como não perder esse controle e não ceder?

      26/05/2011 às 09:20

  8. As vezes nos resta arriscar a ficar sozinho a simplesmente sofrer por algo que não vale a pena…

    Fique com Deus, senhorita Menina Misteriosa.
    Um abraço.

    07/05/2011 às 21:07

    • Menina Misteriosa

      Daniel,
      Ando pensando muito numa frase que li, não sei onde:
      “O que você quer pra sua vida? Aquela pessoa que está sempre do seu lado, ou a que você ama, e que quando você precisa dela, ela não esta?”

      26/05/2011 às 09:21

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s