Epifania

.

Se eu revelasse o assunto do email que gerou tudo isso, ninguém acreditaria.

A brincadeira foi ganhando forma aqui dentro. Não quis mais ficar só na cabeça. Tomou o corpo e quis sair. Com bem mais que uma mera pretensão de acontecer.

Seria uma experiência até simples. Mas só de imaginar fiquei desconcertada. Tem épocas – para não ser deselegante e dizer que é quase sempre – em que os desejos ficam à flor da pele. O que estou vivendo – mudanças, vontade incessante e incontrolável de experimentar e provocar, entrega, fantasias se tornando reais – contribuiu para a empolgação. E o destino certo, claro. Melhor do que a simplicidade da ideia é quase poder sentir o furor do alguém que vai receber.

A concentração no trabalho já estava perdida mesmo, então, fui embora para colocar a doideira em prática, antes que eu pensasse melhor e desistisse. Ou pior, antes que tivesse mais ideias como essa.

Enquanto me deliciava com o devaneio, em meio a cada vez mais desatinos, lembrei-me de algo que li ou ouvi, não sei ao certo onde:

“Just my own naked self and the stars breathing down, it’s beautiful.”

Deu tempo de desviar do caminho de casa. Fui para onde eu pudesse fazer tudo, exatamente como sonhei acordada. Queria fazer sozinha. Sem ajuda, sem plateia. O gostinho surpresa seria melhor.

“Existiam duas mulheres dentro de Lavínia. Uma usava um dedo de pintura e muita lascívia. Trepava de um jeito atrevido, como se estivesse punindo a outra, a Lavínia mansa, assustada com o mundo.” *

Não me contentei em capturar só o desfecho. Fui, já no carro, narrando tudo o que acontecia comigo. A descrição de certos detalhes é excitante.

“O detalhe é a alma de toda a fantasia. Qualquer detalhe, por mais inusitado ou pervertido que seja. Daí os fetiches. A particularidade do desejo. E um detalhe pode tornar-se muitas vezes mais excitante que a própria fantasia.” *

O calor só aumentava. Descrevi o lugar, a noite, o céu, meu corpo, as sensações. Meus pensamentos. As mãos. A grama molhada. A cadência da vontade. Crescente. E mais. E mais.

“Quem me contava isso era a Lavínia doida, não a puritana. Uma falava da outra na terceira pessoa. E eu adoeci daquela mulher. Contraí o vírus da sua insensatez.” *

Eu queria mais.

“Era intenso demais para ser só um jogo”. *

.

– Posso gritar?

– Pode. Grava e (me) manda.

– Ah, sem graça. Se for pra mandar, tem coisa melhor…

.

* trechos do livro
“Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”,
Marçal Aquino

.

Anúncios

20 Respostas

  1. Eu amo Lavinia, não a puritana, a outra, a tal, a boa a meus olhos.

    Adorei.

    Beijos
    Noh

    22/06/2011 às 09:54

    • Menina Misteriosa

      Noh,
      “a boa a meus olhos”.
      você existe, Noh? ;)
      beijo

      24/08/2011 às 10:35

  2. Uma coisa leva a outra, já diria o slogan do Nescafé.

    22/06/2011 às 11:51

    • Menina Misteriosa

      Tiago,
      o não programado é o que mais me atrai.

      24/08/2011 às 10:38

  3. Heru_sa

    Agora fui eu que perdi a concentração no trabalho! ;-)

    É interessante que, tendo te ouvido narrar contos, agora quando te leio, “ouço” o som e o ritmo de tua voz (not to mention the accent)…

    Bj.
    H.

    22/06/2011 às 13:15

    • Menina Misteriosa

      Sem sotaque, né, H.? ;)
      Saudade de você. Muita.
      Beijo

      24/08/2011 às 10:39

  4. Tá escrito e é tão bom que li duas vezes! Vou ler mais quando a vontade vier, não vou me privar, já viciei!

    Beeeeeeijo

    22/06/2011 às 13:46

    • Menina Misteriosa

      Li,
      juntas, a gente não se priva.
      com ou sem listinha.
      saudade de você e sei que quem está em falta sou eu… cof, cof… um tal email… rs

      Beijo

      24/08/2011 às 10:40

  5. Acho bom quando essas múltiplas mulheres que vivem dentro da gente entram em desacordo e brigam um pouco, Cria um caos que muitas vezes acabam em coisas boas, ou loucuras mil.
    Bjs, linda.

    22/06/2011 às 22:40

    • Menina Misteriosa

      Dea,
      tem uma que grita muito aqui dentro. tem dias que eu finjo não ouvi-la. nessas, ela assume o controle, sem que eu saiba.
      você vive isso, de certa forma, no seu trabalho. uma admiração.
      beijo

      24/08/2011 às 10:41

  6. Um brinde à pluralidade!

    Beijo, beijo.

    27/06/2011 às 14:47

    • Menina Misteriosa

      Ser só uma dá sono, né, Lu?

      24/08/2011 às 10:41

  7. Muito bom.
    Completo.
    Daria até para ter um sequência.
    Afinal, todos temos nossos dias de desejo e busca por prazer.

    Obrigado pela visita em meu blog.

    Parabéns

    Daniel

    29/06/2011 às 21:40

    • Menina Misteriosa

      Daniel,
      topa o desafio da sequência?

      24/08/2011 às 10:42

  8. Amei, fazia tempo que não aparecia aqui.. E as mulheres brigam dentro da gente, se confundem e se perdem. Parabéns! Belo texto. bjsss

    16/07/2011 às 19:42

    • Menina Misteriosa

      Patrícia,
      Minha maior briga é comigo mesma. Foi aí que aprendi que ganhar ou ter razão pouco importa.
      Beijo

      24/08/2011 às 10:43

  9. saudades!!!

    18/07/2011 às 00:36

    • Menina Misteriosa

      Muita, S.!

      24/08/2011 às 10:45

  10. Só um poema!

    Conspiração

    Instinto,
    Faro,
    Desejo,
    Carne,
    Jogo,
    Atração,
    Presa,
    Atraído,
    Lua,
    Sol,
    Mar,
    Amar,
    Lençóis,
    Luxuria,
    Manhãs,
    Prazer.

    08/08/2011 às 19:59

    • Menina Misteriosa

      Gosto de provocação inteligente com palavras, Rick.
      E com músicas.
      Beijo

      24/08/2011 às 10:46

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s