Não sabe – ou não quer – brincar, não desce pro play

.

Mesmo tendo excluído a conta @meninamisterios do twitter, eu me envolvi no #LingerieDay. Não por pretender o posto de mediadora da ONU, até porque não acho que discussões tenham, necessariamente, que gerar conflitos. Mas pelo prazer de argumentar, de incitar, de saber. E de tentar falar e opinar menos, o que, como veem, não funcionou.

As reflexões passavam pelo feminismo, pelo ostracismo, pelo machismo, pelo estrelismo, pelo achismo, pelo cotovelismo. Ismos a esmo, ao meu ver. Não por falta de elementos discutíveis, mas por criarem muito caso com uma brincadeira. Tudo tem que ter tanto significado? Tudo merece um porque ou um senão? [digo isso sendo uma questionadora, quase chata] Banalizam os “porquês” assim como o “eu te amo” e o “vai à merda”. É interessante levantar questões, principalmente, dentre as que existem no tema e no que ele suscita; não no porquê alguém participa ou não do #LingerieDay. É uma escolha, como qualquer outra. Não desmerecendo, nem enaltecendo. Cada um ama quem quiser, de graça ou por dinheiro, e se despe ou não como quiser. Isso não significa que eu tenha que concordar ou agir da mesma forma. Muito menos julgar.

A liberdade de um indivíduo não vai até o ponto em que começa a afetar a do outro? Se não quiser ver, não clique. Não é uma obrigação infligida.

Minha cabeça hoje não parou quieta e ia de digressões literárias à brincadeiras inocentes ou perversas. Pernas, calcinha, sutiã, bunda ou peitos expostos no twitter não afirmam que a pessoa não pense. Bem como um livro no avatar não garante que ela pense. O mundo está ficando chatinho e melindroso demais. Me cansa essa mania de rotular.

Explicar uma piada é como ter que defender o ludicismo intrínseco de uma brincadeira. Perde a graça.

E, se podemos aproveitar e/ou conversar sobre isso e sobre o que causa, nos divertindo e/ou aprendendo algo, por quê não?

Se não me diverti com as fotos de lingeries ou de cuecas, me diverti com as discussões, desde as defesas até as críticas, ferrenhas, brandas, fundamentadas ou não.

Ninguém engana todo mundo por muito tempo. Tem corpo que se esforça para mostrar sua moral ilibada e ser visto de forma diferente. Tem cabeça que se esforça para que olhem para baixo e a desejem pelo carnal. Só existe um ou outro? Acho que vai além. Cada pessoa é bem mais que um avatar. Parece que se esquecem disso.

.

Para quem não sabe o que é o #LingerieDay

Polêmica de mundo chatinho: Nirvana e FB

.

Anúncios

23 Respostas

  1. esquecer e julgar está na moda…

    29/07/2011 às 00:41

    • Menina Misteriosa

      adoro não ser escrava da moda, S.
      beijo

      24/08/2011 às 10:19

  2. Cabeção,

    Disso tudo eu só entendi [e achei legal] que você tenha excluído conta do twitter. Twitter sucks!

    ;)

    Ivan

    29/07/2011 às 10:14

    • Menina Misteriosa

      Ivan,
      eu sinto falta do twitter. gostava bastante daquele maldito.
      =/

      24/08/2011 às 10:19

  3. Dai

    Então, acho que sempre há uma discussão enorme sobre essa coisa de “mulher objeto”, ano passado li um texto interessante dizendo que a mulher já estava sendo sujeito se sua história, se as escolhas não são as melhores, ou não, não importa, é ela quem está decidindo.

    beijo

    29/07/2011 às 10:50

    • Menina Misteriosa

      Dai,
      se a mulher quer escolher ser objeto, que aguente o tranco e não se faça de vítima. como tudo, é uma escolha

      24/08/2011 às 10:20

  4. Bom, eu sou daquelas que pulou fora do twt porque não tinha espaço suficiente para as minhas ideias e pensamentos – tudo muito rápido, um flash do que eu poderia, ou não, estar pensando, um piscar em que qualquer coisa pode significar qualquer coisa, mesmo eu não tendo dito. Só nisso já forma mais dos que os 140 caracteres do twt. Mostrar bundas, peitos, calcinhas e cuecas acaba sendo a mesma coisa. Flash de bundas, peitos, calcinhas e cuecas: o que eles quiseram dizer com isso… vai ficar em meros 140 caracteres, discussões aos pedaços, interpretaçòes interrompidas, pensamentos fragmentados. É para quem curte, evidente.

    29/07/2011 às 11:15

    • Menina Misteriosa

      Mirian,
      entrelinhas me tiraram de lá.
      sinto falta da dinâmica, da catarse.
      sinto falta de um mundo menos chatinho, onde nem tudo precisa ter tanto sentido ou tanto peso.
      acho que a falta é de poder ser.
      beijo

      24/08/2011 às 10:22

  5. É apenas uma questão de escolha. Não há necessidade de embarcar na brincadeira, mas também não há por quê julgar. Cada um faz o que quer e se expõe como quer.

    Muito bom o texto, muito boa a reflexão. Confesso que eu mesma até um dia desses tinha tendência a olhar meio torto para o que não condizia com o que eu penso. Mas hoje acho que a maturidade enfim chegou, e eu aprendi a simplesmente respeitar o diferente. E esse texto é uma reflexão a respeito disso. Não só em se tratando de #LingerieDay ou #BurkaDay, mas em relação a todas as diferenças que existem no mundo.

    ;) Adorei, minha irmãzinha!

    =****

    Miss

    29/07/2011 às 12:19

    • Menina Misteriosa

      Crescemos, Miss. Senti isso na pele contigo aqui.
      Love.

      24/08/2011 às 10:23

  6. Eu boiei totalmente dessa vez passou desapercebido por mim que adoro ver as polemicas de camarote kkkk

    29/07/2011 às 15:29

    • Menina Misteriosa

      Dea,
      nesse fds que passou, vi uma moça que me lembrou tanto, tanto você…
      … saudade dos nosso papos pela madrugada.
      beijo

      24/08/2011 às 10:24

  7. Concordo que cada um pode se mostrar como e quanto quiser mas é importante sentir-se seguro do que faz. Até para brincar, para fazer algo sem planejar ou medir consequências é necessário ter segurança porque as opiniões, as críticas sempre, sempre virão e quem se deixa desmontar, devastar por elas sofre duas vezes.

    Beijo, Lu.

    30/07/2011 às 13:48

    • Menina Misteriosa

      Lu,
      penso como ti.
      é preciso ser muito sujeito para segurar a onda de ser objeto.

      24/08/2011 às 10:25

  8. Complicado isso, é verdade, tudo na vida virou rótulo. Eu acho que a máxima “se cada um cuidasse da própria vida, o mundo seria bem melhor” continua valendo.
    Como você disse, clica lá quem quer.

    um abraço.

    ps.achei seu endereço em um comentário antigo seu no meu blog.

    15/08/2011 às 20:00

    • Menina Misteriosa

      Letícia,
      o mundo anda muito chatinho.

      24/08/2011 às 10:26

  9. Adoro conversar, trocar idéias, discutir temas interessantes com pessoas interessantes cuja inteligência possa acrescentar algo nas minhas concepções. Mas discutir só por discutir, pra ganhar a discussão, pra impor idéias, nem pensar. Cada um de nós tem uma história e é a partir dela que formamos nossas opiniões e uma discussão deve servir para abrir outras possibilidades, fornecer novos conhecimentos adquiridos por outros também através de suas experiências pessoais. Acho que quem critica demais não tem segurança suficiente em si mesmo e no que pensa e acha da vida. Vivo e deixo viver, aprendo sempre, observo muito e critico o menos possível. E vivo em paz.
    Gostei muito do seu blog.
    Te convido a conhecer o meu.
    Beijokas e um lindo fds.
    Seguindo…

    19/08/2011 às 18:58

    • Menina Misteriosa

      Lua,
      ter razão só pela razão torna-se vazio, não é?
      seja bem vinda.
      beijo

      24/08/2011 às 10:27

  10. Como faço pra te seguir?

    19/08/2011 às 19:08

    • Menina Misteriosa

      Lua,
      você usa o Google Reader?

      24/08/2011 às 10:31

  11. yes, words…

    22/08/2011 às 23:44

    • Menina Misteriosa

      mal [bem] feito, Giovani?

      24/08/2011 às 10:32

  12. Menina Misteriosa

    H., não vale.
    nem sempre.

    24/08/2011 às 10:26

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s