Arquivo para janeiro, 2012

Por redução ao absurdo*: sátiro ou pobre palhaço erudito devoluto e estranho

.

tem tanto meu em tudo
que ele não admite
e eu
nem preciso fingir
nada parece o que é
mas tem a música, o livro
menos troféus
é pedir muito?
e esses pronomes possessivos
in-trínsicos-transferíveis
a minha na sua
a sua em mim
tão impessoais
indefinidos
singulares em número e verbos
plurais em vontades e números
e versos
pedintes
não vejo, não peço
peco
e observo
de longe
cada vez, mais longe

.

* prova da falsidade, ao obter uma consequência lógica absurda. é um procedimento matemático, mas se assemelha à ironia, método predileto do satirista.

.