conjugação defectiva no tempo da memória

.

Assim que pus os pés no aeroporto, sabia que deveria ir comprar um vinho, antes mesmo de deixar as malas em casa. A noite não seria fácil. Quantas vezes quis que meu sexto sentido estivesse enganado. Não comprei o vinho e me senti impelida a não seguir o caminho em néon. Arisca? Irritante essa minha mania teimosa de não fugir do sentir e de querer ir até o fim. De subir no salto, como se não sentisse medo. De sentir falta da falta. De sentir falta do frio na barriga. Enquanto uma decepção me tornava menos crente, uma nova chance me assustava como não deveria. E eu só querendo ser livre com ele, justamente o alguém que tem medo de ficar sem algemas.

………………………….por medo da ausência que – todos nós – seremos e teremos,
………………………………..buscamos, na distância, a falta que nos move?

Descobrir a maldade babaca de uma peça solta da engrenagem que eu defendia, mesmo sob altas doses de irritação infligida, endurece e não há amor que surja do passado que amenize. Nem nada que enrouqueça a vontade de me arriscar no novo inusitado. Sim, eu pularia lá do alto com ele, sem proteção, sabendo que não significaria morte e sim vida. Adiantaria eu segurar a mão dele, desse alguém que eu quero e quero livre de amarras, e pedir: “pula comigo”? Entendo o temor, a cautela, a precaução, a dúvida entre o risco e o ganho, o pensar excessivo. Quem nunca?

Do outro lado, um outro alguém me estende a mão e me diz: “pula”. E eu não quero. Penso, re-penso, hesito.

O querer é estranho, complicado, encantador. Quero o que já tenho, o que conheço e que ainda me surpreende, o que admiro. Não quero o seguro sem emoção que vende a promessa de não deixar cicatrizes. Quero as mãos dadas que me dão uma alegria leve e leal, sem cobranças. O sorriso gostoso do desejo, sem jogos. Com alguém que não me dá certezas e que ainda assim me enche delas.

“Pra quem não sabe amar
Fica esperando
Alguém que caiba no seu sonho” *

Não me encaixo em sonhos. Mal me lembro deles. Tenho ojeriza a idealizações e razões sem sentido. Prefiro os pecados que podemos criar juntos, ainda que não tenham nome; fantasias que, se loucas, são nossas e só nossas; segredos sem sombras, não por devermos algo a alguém, mas por ninguém ter nada a ver com o que vivemos e somos, quando juntos.

“o presente foge, o passado volta e o futuro passa” **

Um pacto implícito, entre ele e suas pessoas, foi rompido. Ausência e falta, hoje, misturam-se num mundo sem paradas que ele criou, onde tempos verbais brigam e se perdem. Dele. No instante em que o imperfeito deixa de se presente, o gosto doce do pronome possessivo se torna amargo. Ele corre, alcança e não suspira. Satisfaz-se com excesso de controle e, ainda assim, não me engana: sim, eu acredito que ele saiba amar.

.

* Blues da Piedade, Cazuza e Frejat
** Nem Um Dia se Passa sem Notícias Suas – Daniela Pereira

.

Anúncios

21 Respostas

  1. Devia ter ficado lá tomando conta para você não fazer besteira!
    Ainda bem que não comprou o vinho, senão você teria misturado essa coisa de algemas!

    Beijo! e me promete que se controla por um final de semana só?

    04/10/2011 às 17:39

  2. Menina Misteriosa

    Sá, com vinho fico menos arisca, não acha?

    A ideia das algemas era para ser séria, mas já desandou:
    “um quer te algemar e o outro quer ser algemado?”…. isso porque é amiga! =)

    Beijo

    04/10/2011 às 17:45

  3. [E eu ri alto com a resposta do comentário! hauhauha]

    Sobre o texto…forte, denso, intenso…Misterioso nas linhas, bastante claro nas entrelinhas.

    Gosto. Sempre. E muito.

    ;)

    #Love

    04/10/2011 às 18:03

    • Menina Misteriosa

      [espirituosa a comentarista, néam, Miss?]

      Miss, a estrofe completa da música é:

      “Pra quem não sabe amar
      Fica esperando
      Alguém que caiba no seu sonho
      Como varizes que vão aumentando
      Como insetos em volta da lâmpada

      Insetos, lâmpada… hum… vale a lei da vó? ;)

      Obrigada pela revisão do texto e por me ajudar a organizar as entrelinhas!

      Love!

      04/10/2011 às 18:16

  4. Nossa… adorei este poste ^^
    Perfeito! hehe…
    Faz tempo que não a visito rs…

    Um grande beijo

    04/10/2011 às 18:14

    • Menina Misteriosa

      Lord,
      o tempo aqui é o da memória!

      perfeita imperfeição confusa? ;)

      beijo!

      04/10/2011 às 18:20

  5. Sisa

    Sem cobranças. É isso que te encanta, te fascina, te faz querer, né? E eu te entendo, você sabe. Querer estar junto é gostoso. Ser obrigada a estar junto amarra. E “quando vira nó, deixa de ser laço”…

    05/10/2011 às 00:29

    • Menina Misteriosa

      Sisa,
      É isso sim!!!! Não lido bem com relações sufocantes e opressivas; como você bem sabe, me identifico com “Uniões Anarquistas” que nos ligam pela liberdade.

      Marcho pelos laços! =)

      Beijo!

      p.s.: a música não só me inspirou, como faz parte do texto! tks!

      05/10/2011 às 00:46

  6. Respondendo a tua pergunta feita em outras paragens : sim, eu senti. E entendi.

    Te gosto.

    Um beijo.

    05/10/2011 às 13:30

    • Menina Misteriosa

      Lu,

      faz um power point explicativo pra mim com muitas gravuras, faz?

      das algemas daqui, viu, não das algemas das não descidas, ok? isso [cof, cof] fica para outro momento!
      [não resisti…]

      me too!

      dois beijos!

      05/10/2011 às 14:27

  7. Heru_sa

    Os teus mistérios, Menina, desvendar… quem há de?

    Primeira pessoa, singular, defectivo.

    Bj.
    Heru

    05/10/2011 às 13:35

    • Menina Misteriosa

      H.,

      Pouquíssimas pessoas chegaram perto de.
      Para desvendar, de verdade, a pessoa não pode bobear e tem que me segurar pelo braço, senão, eu fujo!

      Gosto de sujeitos e pronomes. Defectivos e possessivos. Claro, na hora certa e bem usados.

      Beijo, H.!

      05/10/2011 às 14:31

  8. Faço, Lu, faço sim.

    E sobre descidas, quero te responder por aqui, que equivale e andar nua pela rua sem que ninguém possa ver, excitação nível 7 : descobri agora, é completinha sim!

    Oh, Deus…Como proceder?

    #RisadinhaDiabólica

    Beijos.

    06/10/2011 às 13:12

    • Menina Misteriosa

      Lu, a fantasia do desfile da vontade em dias de folguedo subia de um lado e descia de outro. A descida, repare nas fotos, é unilateral.

      É assim mesmo que a moça, a costureira dos sonhos, ia arrematar? Com pompa, muito brilho e muitas camadas de descidas de um lado só? ;)

      06/10/2011 às 20:27

  9. Parece que serão dias e noites de folguedo, desfiles caprichados, muitos detalhes para deleite dos olhos e dos demais sentidos.

    Os desfiles iniciais trarão modelos com camadas de descidas em apenas um dos lados, sim, mas os posteriores farão conhecer as camadas em ambos os lados, alternadas, e na sequência incluirão modelos com descidas simultâneas.

    Ficarei na platéia no início, depois estarei na passarela e mais a frente, quem sabe, assinarei a coleção.

    ;)

    06/10/2011 às 23:02

    • Menina Misteriosa

      Ai, meu miocárdio! Ultimamente, ando tarada por fantasias, Lu!

      Me conta: inscrições abertas ou sob encomenda?

      07/10/2011 às 02:04

  10. Sob encomenda, mas te quero nessa produção comigo, Lu : faz-se fantasias sob medida, tu vai adorar, tenho certeza!

    A tendência agora é valorizar as fendas. Todas.

    Vem?

    07/10/2011 às 12:01

  11. Menina Misteriosa

    Lu, você bem sabe que eu ando numa fase de inovação experimental, néam? ;)
    O atelier já tem nome?
    Vamos poder inventar, misturar tecidos, texturas, tendências, fendas, botões, decotes, cores e cadências?

    07/10/2011 às 14:24

  12. Podemos experimentar tudo, todas as combinações, ousar na mistura das estampas e o melhor é que o atelier não precisa de nome, Lu, dispensa o peso dos rótulos.

    Mais uma coisa : as medidas serão feitas, tiradas a palmo. Pensa…

    ;)

    08/10/2011 às 00:20

  13. Bianca

    Até sonhei com vocês ontem, Lu!
    Você deve estar a caminho do aeroporto agora e a história de vocês não me sai da cabeça.
    Tudo que eu quero é que ele te faça bem e que você chegue com aquele sorriso bobo lindo no rosto na segunda.

    Beijoca!

    08/10/2011 às 09:59

  14. Juliana.

    Encontrei teus escritos no acaso, esplêndidamente – belicamente – líricamente/falando/ fascinantes!, parabéns … (também escrevo).

    20/06/2012 às 19:16

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s